#005 - Nos ajude a ajudar a Zuzu!

Atualizado: Jul 6

Oi gente!


Hoje o post é extremamente importante e muitíssimo especial pra mim, pro Leandro e pra Zuzu! Quem são esses?


O Leandro Jammal é dono da Gozo Por Ventura e meu amigo desde a Unesp. No carnaval de 2020, decidimos fazer uma coleção em conjunto e foi aí que eu conheci a Zuzu, que fazia as cuecas e sungas da marca dele e quem iria fazer nossos maiôs pro carnaval.

Foi amor a primeira vista, tanto pela qualidade do trabalho dela quanto pela pessoa amorosa, bem disposta, querida e doce que ela é. Sabe aquele tipo de mulher que você logo cria afeto e quer que seja da sua família? Essa é a Zu.


O problema é: Zuzu veio para São Paulo trabalhar com seu primo, num momento em que ele tinha investido nas máquinas para começar uma pequena confecção de roupas. O talento dela era DISPARADO à frente das outras costureiras que por ali passavam e faziam testes pra ajudar na produção. Eu e o Leandro só podíamos agradecer por ter encontrado uma profissional tão competente pra nos ajudar no nosso sonho maluco.

Esse talento, que é uma coisa tão especial, num determinado momento começou a se tornar algo não muito legal pois sobrecarregava só uma pessoa com quase todo o trabalho. Resultado? Zuzu trabalhava todos os dias, sem distinção de final de semana, feriado, dia santo, manhã, tarde ou noite. E ganhava 1300 reais pra isso. Como ela mesma diz "se não trabalhar a gente não come, né?".

Março de 2020, Corona Vírus fechou tudo no Brasil e no mundo. Os pedidos da confecção diminuíram muito. A Zuzu ficou de vez sozinha na produção, pois usava as máquinas do primo e agora não mais ganhava um salário fixo. Ela começou a ser chamada de sócia e ia dividindo tudo que entrava de dinheiro pelos pedidos, mas também tudo que saía de gasto como conserto de máquinas, compra de fios e linhas - sendo que ela era a única pessoa costurando tudo e ainda tinha que "dar Graças a Deus" por existirem ali aquelas máquinas pra ela poder tirar seu sustento.


Foi em um domingo à noite, pouco antes do Natal que eu recebi a ligação da Zuzu. Ficamos quase 2 horas no telefone e ela me contou tudo que tava se passando. A gente não fazia a menor ideia da condição que ela vivia, nem como estava a situação pois ela nunca se abriu com a gente. Zuzu sempre foi apenas sorriso! Sempre tava tudo bem - até que ela desmoronou e veio pedir ajuda.

Eu e o Lê fizemos o que a gente podia fazer logo de cara, que foi aumentar o valor pago pra ela por peça e tentar ao máximo aumentar o volume de serviço enviado.

Isso foi o maior motivo que fez com que eu abraçasse com todas as minhas forças a Aniloli Clothing, mesmo estando no comecinho, porque já sinto que não é algo que vai voltar só pra mim. Ter uma marca, uma empresa, qualquer tipo de negócio, envolve um nível de responsabilidade social que a grande maioria das pessoas se esquece - ou finge que não vê pra tirar o maior lucro possível, em cima de vidas humanas tão importantes quanto as nossas.


O que a gente - eu, o Leandro e a Zuzu - queremos e VAMOS conseguir, é arrecadar toda a grana necessária para que a Zuzu compre essas máquinas e consiga se erguer. Sabemos que a taxa de mobilidade social brasileira é incrivelmente baixa, mas nós SABEMOS que vamos conseguir dar uma vida melhor pra essa mulher e pro marido dela, que foi embora lá pro nordeste há quase um ano pra conseguir melhores condições pros dois e também está passando por um mau bocado.

A Zuzu é o retrato de um Brasil que fica do lado de fora da nossa bolha. É o Brasil que tem sangue, que tem força, que tem raça e que não mede esforços pra conseguir o mínimo que deveria ser assegurado a cada habitante do país: um teto digno pra morar, luz, água, saneamento básico, saúde garantida e comida no prato pra conseguir trabalhar.



Enquanto nosso governo não consegue dar conta do mínimo, a gente vai fazer o que for necessário pra mudar a vida de pelo menos UMA família, por enquanto! A Aniloli Clothing e a Gozo Por Ventura tem potencial pra crescer muito e ajudar muitas famílias a mudarem de vida. Muitas. Mas, por enquanto, a gente precisa da ajuda de cada um de vocês, não conseguimos sozinhos. Sei que nossa rede e nosso alcance aqui pela internet é GIGANTE e sabemos que cada um consegue doar pelo menos 10 reais pra ajudar a juntar essa grana e comprar as máquinas da Zuzu. Se conseguirmos mais, vamos fazer com que ela se mude com suas máquinas pra um lugar decente, seguro, onde ela possa morar em paz e trabalhar em condições humanas.

É só isso que a gente pede, uma doação do valor que você puder! Mas não deixe pra depois, não passe reto, não negue dizendo que você também não pode. Todo mundo pode, nem que seja com um pouquinho.



O link da vakinha online está aqui embaixo pra quem se sentir mais seguro. Por lá, além de conseguimos discriminar cada doação, o valor, a forma de pagamento, você ainda consegue doar de forma anônima. Também fizemos um vídeo conversando com a Zuzu e pedindo pra ela contar toda sua história que gostaríamos que todos assistissem pra entender melhor a situação.


https://www.vakinha.com.br/vaquinha/maquinas-de-costura-para-a-zuzu



O problema é que a plataforma cobra da gente uma taxa meio alta demais, então a gente prefere que essa doação seja feita diretamente pelo PIX 14981706546 que é a conta da Aniloli Clothing - que ainda está vazia para receber essas doações.


PIX 14981706546


ANILOLI CLOTHING

Agência 0001

Conta 11722847-8

Banco 260 - Nu Pagamentos S.A.